MECANISMO DE FILTROS-BOLHA SOB A ÓTICA DOS POSTULADOS TEORICOS DO CIRCULO DE BAKHTIN

Autores

Palavras-chave:

Círculo de Bakhtin, filtros-bolha, redes sociais, responsividade

Resumo

Este artigo discute o mecanismo de filtros-bolha em redes sociais digitais a partir do conceito de responsividade, um importante postulado teórico do Círculo de Bakhtin. Para tal, partimos da compreensão de que a responsividade, nos estudos bakhtinianos, constitui o entendimento de que o sujeito se posiciona em relação a determinado discurso após compreendê-lo e essa compreensão é sempre ativamente responsiva (Bakhtin, 1997). A partir dessa noção, esta investigação, de natureza bibliográfica, analisa duas pesquisas relacionadas a campanhas de desinformação no contexto das eleições presidenciais brasileiras, buscando, assim, compreender como o mecanismo de filtros-bolha (Pariser, 2012) se relaciona à dinâmica da desinformação, onde este consiste no processo de ultrapersonalização da experiência dos usuários nas redes sociais digitais, pelo qual elas recomendam a cada usuário aquilo que consideram mais relevante a ele, personalizando a experiência individual do usuário a partir do modo como este se engaja em determinada rede social (Bentes, 2019). Nesse aspecto, a extrema personalização dos serviços online atua no sentido de produzir bolhas sociais, nas quais os indivíduos passam a ter cada vez menos contado com vozes discursivas divergentes. Em suma, o mecanismo de filtros-bolha promove um espaço de circulação de um discurso homogêneo, onde o sujeito, ao produzir o enunciado e esperar a resposta do outro, sabe que seu próprio posicionamento será reforçado, o que potencializa os falsos consensos e as posições políticas polarizadas no cenário eleitoral.  

Referências

BAKHTIN, Mikhail. Estética da criação verbal. Tradução de Maria Ermantina Galvão G. Pereira. 2. ed. São Paulo: Martins Fontes, 1997.

BENTES, Anna. A gestão algorítmica da atenção: enganchar, conhecer e persuadir. In: POLIDO, Fabrício; ANJOS, Lucas; BRANDÃO, Luíza (orgs.). Políticas, Internet e Sociedade. Belo Horizonte: Instituto de Referência em Internet e Sociedade, 2019. Disponível em: http://bit.ly/35hiqms. Acesso em: 05 ago. 2023.

ELI, Pariser. O filtro invisível: O que a internet está escondendo de você. Tradução Diego Alfaro. 1. ed. Zahar, 2012.

FANTI, Maria da Glória Corrêa Di. A linguagem em Bakhtin: pontos e pespontos. VEREDAS, Juiz de Fora, v.7, n.1 e n.2, p.95-111, jan./dez. 2003.

SILVA, Max Melquiades da; CENDÓN, Beatriz Valadares. Estratégia, método e conteúdo: três componentes para compreensão das campanhas contemporâneas de desinformação. BiblioCanto, Natal, v. 8, n.1, p. 21-44. 2022.

SIQUEIRA, Dirceu Pereira; VIEIRA, Ana Elisa Silva Fernandes. Algoritmos preditivos, bolhas sociais e câmaras de eco virtuais na cultura do cancelamento e os riscos aos direitos de personalidade e à liberdade humana. Revista Opinião Jurídica, Fortaleza, v. 20, n. 35, p. 162-188, set./dez. 2022.

SOBRAL, Adail. Ato/Atividade e evento. In: BRAIT, Beth. Bakhtin: conceitos-chave. 4. ed. São Paulo: Contexto, 2007.

WEEDWOOD, Barbara. História concisa da linguística. Tradução de Marcos Bagno. São Paulo: Parábola Editorial, 2002.

Downloads

Publicado

2023-11-24

Como Citar

MENEZES, V. L. M. A.; ARAÚJO JÚNIOR, J. da S. MECANISMO DE FILTROS-BOLHA SOB A ÓTICA DOS POSTULADOS TEORICOS DO CIRCULO DE BAKHTIN. Anais do Encontro Virtual de Documentação em Software Livre e Congresso Internacional de Linguagem e Tecnologia Online, [S. l.], v. 11, n. 1, 2023. Disponível em: https://ciltec.anais.nasnuv.com.br/index.php/CILTecOnline/article/view/1161. Acesso em: 29 fev. 2024.