A ESCRITA METAFÓRICA DE UM CORPO REAL PARA UM OUTRO VIRTUAL:

olhar semiótico para a dança no espaço tecnológico em Jibaro da série Love, Death and Robots.

Autores

  • Leonardo Jardim Borges Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais
  • Nora Vaz de Mello Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais

Palavras-chave:

dança, keyframe animation, imagem, semiótica

Resumo

A linguagem da dança quando inserida em novas interfaces tecnológicas potencializa no espaço cênico uma teia de imagens que tecem os sentidos dos traços da escrita metafórica no corpo dramatúrgico. Este artigo busca discutir outras configurações da dança com a animação digital que utilizam a técnica keyframe. O objetivo é mostrar como a dança e suas reverberações são um dos principais mecanismos de significação das corporeidades no espaço tecnológico, justificada pela necessidade de pensar sobre como o corpo que dança é o ponto de partida para a criação de figuras em softwares de animação. O arcabouço teórico sobre a complexidade dos fenômenos destas linguagens foi analisado pela mediação dos signos (Peirce, 2019). Pelo tema proposto, analisamos como a semiose ocorre motivada pelos recursos tecnológicos (Santaella, 2020) sendo possível considerar os modos de significação das cenas. No que se refere ao surgimento do movimento, Laban (1978) contribuiu com o conceito de fruição manifestado pela movimentação visível do corpo. A metodologia teve uma abordagem qualitativa (Vergara, 2016) para entender corpo em movimento, imagem e animação refletindo sobre as possíveis associações significativas vindas de um território real para um outro virtual. A aquisição dos dados deu-se no estudo do corpo que dança, no episódio Jibaro, da série Love, Death and Robots (Netflix) criada por Alberto Mielgo. Pelos resultados alcançados concluímos que as linguagens artísticas abrem espaços para explorar as relações entre os signos e geram uma corrente de subcódigos baseados em convenções artísticas.

Biografia do Autor

Nora Vaz de Mello, Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais

Nora Vaz de Mello é doutoranda em Estudos de Linguagens, pelo CEFET/MG, com foco nas linhas de pesquisa: Literatura, Semiótica, Dança, Cognição, Cultura e Tecnologia e tem como orientadora a Profa. Dra. Olga Valeska. Como estudiosa apresentou parte de sua pesquisa de Mestrado, "O Processo Criativo da Coreografia do Espetáculo `Terra Brasilis` da Companhia de Dança Movimento", também realizada no CEFET/MG, em simpósios brasileiros, na Universidade de Nova York (CUNY), no Queens College e na Universidade de Massachusetts (UMass), na cidade de Amherst. É parecerista de projetos de arte, dança, processo criativo e cultura do Sinparc/MG. Autora de artigos em várias revistas com destaque para o livro - "Ballet Movimento 30 anos de dança, arte e cultura". Elabora, gerencia e emite pareceres de projetos artísticos culturais. É pesquisadora, atriz, bailarina, coreógrafa, preparadora corporal, professora de dança e de teatro. Como gerente de projetos, tem MBA em Gestão de Projetos Estratégicos pela FUMEC (2014) (Belo Horizonte, Brasil), com especialização internacional em Gestão de Equipe pela UADE (Buenos Aires, Argentina). Pela UFMG tem as graduações nos Cursos de Teatro - Licenciatura em Teatro (2008), Bacharelado em Interpretação Teatral(2005) e no Curso de Letras (1975) com habilitação em Licenciatura - Português. Formada em Ballet Clássico pela Royal Academy of Dancing de Londres (1973). Foi diretora do Ballet Movimento (1976-2005). Como diretora do Movimento Projetos e da Companhia de Dança Movimento (1985 - Belo Horizonte, Brasil) apresentou espetáculos de dança contemporânea, em teatros nos Estados Unidos, Canadá, Paraguai, Cuba, Escócia, França, Bélgica, Itália, Áustria, Portugal e Espanha.

Referências

BITTENCOURT, Adriana. Imagens como acontecimentos: dispositivos do corpo, dispositivos da dança. Salvador: EDUFBA, 2012.

LABAN, Rudolf. Domínio do movimento. Org. Lisa Ulmann. trad. Anna Maria Barros de Vecchi e Maria Sílvia Mourão Neto. 3. ed. São Paulo: Summus, 1978.

MIRANDA, João Carlos. Animação de personagem 3D: expressão facial. Disponível em: /https://bdigital.ipg.pt/dspace/bitstream/10314/3120/1/joaocarlosmiranda2.pdf. Acesso em 10 de agosto de 2023

NETFLIX. Love, Death and Robots. Disponível em: https://www.netflix.com/watch/81424939?trackId=255824129. Acesso em: 10 de agosto de 2023.

PEIRCE, Charles Sanders. Semiótica. São Paulo: Perspectiva, 2019.

PLAZA, Júlio. Tradução intersemiótica. São Paulo: Perspectiva, 2013.

SANTAELLA, Lúcia. Semiótica aplicada. São Paulo: Thomson learning, 2004.

__________________. Dança sob o signo do múltiplo. São Paulo: Estação das letras e cores, 2020.

VERGARA, Sylvia Constant. Projetos e relatórios de pesquisa em administração. 9. ed. São Paulo: Atlas, 2007.

Downloads

Publicado

2023-11-24

Como Citar

JARDIM BORGES, L.; VAZ DE MELLO, N. A ESCRITA METAFÓRICA DE UM CORPO REAL PARA UM OUTRO VIRTUAL:: olhar semiótico para a dança no espaço tecnológico em Jibaro da série Love, Death and Robots. Anais do Encontro Virtual de Documentação em Software Livre e Congresso Internacional de Linguagem e Tecnologia Online, [S. l.], v. 11, n. 1, 2023. Disponível em: https://ciltec.anais.nasnuv.com.br/index.php/CILTecOnline/article/view/1139. Acesso em: 29 fev. 2024.